terça-feira, 11 de julho de 2017

História - A cidade de Hiroshima era assim antes de ser destruída pela bomba atômica

Segunda Guerra Mundial. O calendário apontava a data de 6 de agosto de 1945. Um japonês atravessava a rua, olhou para o relógio que marcava 8h15 da manhã. Um segundo depois, Hiroshima ia para o espaço, sendo a primeira cidade na história do mundo a ser atacada por uma bomba atômica.
Segunda Guerra Mundial. O calendário apontava a data de 6 de agosto de 1945. Um japonês atravessava a rua, olhou para o relógio que marcava 8h15 da manhã.
Um segundo depois, Hiroshima ia para o espaço, sendo a primeira cidade na história do mundo a ser atacada por uma bomba atômica.
Estima-se que cerca de 100.000 pessoas morreram instantaneamente em Hiroshima. Os números divergem, mas o que se sabe é que no mínimo 240.000 civis foram afetados pelo artefato, e morreram ou na hora ou depois, devido aos altos níveis de radiação. Isso contando com a catástrofe em Nagasaki, três dias depois.
Setenta e um anos já se passaram desde o atentado que chocou o planeta. A cidade de Hiroshima sobreviveu, hoje ela está plenamente reconstruída e funcionando a pleno vapor. Os japoneses são mesmo reconhecidos pela sua perseverança.
Conhecemos o terror e a devastação causada pelos americanos aos japoneses. A bomba apelidada de Little boy, que significa “garotinho” em português, não tinha nada de diminutivo na sua capacidade devastadora. O artefato causou um rastro de destruição que até hoje permanece sendo um comprovante da irracionalidade humana, capaz de atrocidades monstruosas como esta.
Afinal de contas, o poder e a guerra assassinam todos os dias, crianças, idosos, mulheres, jovens, que não nada tem a ver com o jogo de manipulação e fome de poder disputado pelos governantes do mundo. Ainda hoje as fotos de Hiroshima nos impressionam com um misto de horror e compaixão.
Conta-se que Robert Lewis, copiloto do Enola Gay (o avião utilizada para soltar a bomba sobre a cidade) teria lamentado logo após ver a enorme coluna de fumaça que subiu da explosão. Ele teria escrito em seu diário:  “Meu Deus, o que foi que nós fizemos?“.
Segunda Guerra Mundial. O calendário apontava a data de 6 de agosto de 1945. Um japonês atravessava a rua, olhou para o relógio que marcava 8h15 da manhã. Um segundo depois, Hiroshima ia para o espaço, sendo a primeira cidade na história do mundo a ser atacada por uma bomba atômica.
É impossível esquecer as imagens terríveis que vimos ainda crianças durante as aulas de História. Você provavelmente já conhece as imagens de destruição arrasadora causada pela bomba às duas cidades japonesas. Provavelmente você já teve a curiosidade de saber como essas cidades estão hoje e como elas foram reconstruídas.
Segunda Guerra Mundial. O calendário apontava a data de 6 de agosto de 1945. Um japonês atravessava a rua, olhou para o relógio que marcava 8h15 da manhã. Um segundo depois, Hiroshima ia para o espaço, sendo a primeira cidade na história do mundo a ser atacada por uma bomba atômica.
Mas você já viu como era a cidade de Hiroshima antes de todo esse horror? As imagens são raras. E tão comoventes quanto as imagens de destruição. Porque vemos as pessoas em situações normais do dia-a-dia, pegando um bonde, atravessando a rua, vivendo normalmente, despreocupadas, sem saber que entre as nuvens uma arma de assassinato em massa cairia sobre suas cabeças.
Então prepare-se para as fotos. Hiroshima era assim antes da bomba:

1- Centro de Hiroshima

Segunda Guerra Mundial. O calendário apontava a data de 6 de agosto de 1945. Um japonês atravessava a rua, olhou para o relógio que marcava 8h15 da manhã. Um segundo depois, Hiroshima ia para o espaço, sendo a primeira cidade na história do mundo a ser atacada por uma bomba atômica.

2 – Rio Motoyasugawa
Segunda Guerra Mundial. O calendário apontava a data de 6 de agosto de 1945. Um japonês atravessava a rua, olhou para o relógio que marcava 8h15 da manhã. Um segundo depois, Hiroshima ia para o espaço, sendo a primeira cidade na história do mundo a ser atacada por uma bomba atômica.

3 – Rua dos Templos
Segunda Guerra Mundial. O calendário apontava a data de 6 de agosto de 1945. Um japonês atravessava a rua, olhou para o relógio que marcava 8h15 da manhã. Um segundo depois, Hiroshima ia para o espaço, sendo a primeira cidade na história do mundo a ser atacada por uma bomba atômica.

4 – Cais, próximo da ponte Aioi
Segunda Guerra Mundial. O calendário apontava a data de 6 de agosto de 1945. Um japonês atravessava a rua, olhou para o relógio que marcava 8h15 da manhã. Um segundo depois, Hiroshima ia para o espaço, sendo a primeira cidade na história do mundo a ser atacada por uma bomba atômica.

5 – Área vista de cima
Segunda Guerra Mundial. O calendário apontava a data de 6 de agosto de 1945. Um japonês atravessava a rua, olhou para o relógio que marcava 8h15 da manhã. Um segundo depois, Hiroshima ia para o espaço, sendo a primeira cidade na história do mundo a ser atacada por uma bomba atômica.

6 – Estação de Hiroshima
Segunda Guerra Mundial. O calendário apontava a data de 6 de agosto de 1945. Um japonês atravessava a rua, olhou para o relógio que marcava 8h15 da manhã. Um segundo depois, Hiroshima ia para o espaço, sendo a primeira cidade na história do mundo a ser atacada por uma bomba atômica.

O Museu Memorial da Paz de Hiroshima fica hoje em lugar próximo do rio Motoyasugawa (ver foto 2), e foi ponto exato onde a bomba caiu. O memorial além de disponibilizar as fotos também se empenhou para recuperar os videos desse período, antes da guerra.
Acredita-se que as imagens recuperadas sejam de abril de 1935, ou seja, dez anos antes da explosão do artefato. Estima-se que o museu investiu cerca de 26 mil reais (900.000,00 ienes) para a recuperação e digitalização do vídeo, de acordo com o jornalJapan Times.
Quantas pessoas que aparecem nessas fotos e no vídeo e morreram por causa dessa bomba? É realmente triste ver o que o homem é capaz de construir e destruir ao mesmo tempo.
De qualquer maneira, a História não se apaga tão facilmente e os registros são a prova viva do que fomos capazes e do que não devemos nunca repetir.
E você, já tinha visto as fotos de Hiroshima antes do atentado? O que você sentiu enquanto via as fotos? Não esqueça de deixar o seu comentário.

Nenhum comentário:

Postar um comentário